e dessa liquidez, b e b a

rio que transborda ~ águas de dilúvio ~ desaguando em qualquer mar ~ todo o mar ~ maré cheia

quarta-feira, 11 de junho de 2008

líquida

é vida que se derrama
escorrendo
entre as pernas quentes
que se abrem e se fecham
e se moldam conforme a noite pede

é líquida.
escorrendo nos seios
saciados da sede
da tua boca sedenta
daqueles seios sedentos
da tua sede de arder

pra depois se liquefazer.

é líquida.
escorrendo no peito
úmido do ato
úmido do fato
consumado de nós dois

e na ponta dos dedos,
é líquida.
é líquida,
de uma brancura leitosa


. . . . . . .



de uma cor: a tua
nos lábios carnudos, já com cheiro de nostalgia, um gosto: o teu.


sempre líquida,
essa vida.

Um comentário:

Guria disse...

de uma cor: a tua

não precisamos mais falar nada... isso define tudo.
palavras lindas.

Beijos